ENTREVISTA DE JOESLEY DEIXA BRASÍLIA EM PÂNICO E TEMER SEM SABER SE VIAJA PARA A RÚSSIA

epoca

Brasília amanheceu neste sábado enforcado de feriado sob o silêncio aterrador das grandes crises, quando os agentes políticos sempre esperam alguém falar primeiro antes de se manifestar.

Os aliados do Planalto estão paralisados porque a entrevista do empresário Joesley Batista à Revista Época é devastadora, sobretudo para Michel Temer. E afunda o sistema político, seus protagonistas e partidos, no pântano da imprevisibilidade. Aquela impressão consolidada ao longo da semana, de que Temer governará até o fim de 2018, volta a se desvanecer.

São tantas as informações, detalhes e possíveis desdobramentos que é preciso, neste momento, observar por partes – até porque ninguém tem a menor ideia do que vai acontecer nos próximos dias. O que está saltando aos olhos:

Afinadinho com o MP, Joesley citou pelo menos meia dúzia de vezes o vocábulo Orcrim – sem contar as referências à organizações criminosas – num linguajar típico dos profissionais do Ministério Público. Isso deixa claro que combinou milimetricamente com os investigadores cada palavra do que disse – até os elogios aos próprios, segundo ele “rapazes novos, inteligentes bem intencionados”.

Afinado com o MP, o empresário fulminou o presidente da República que vem usando instrumentos do governo para retaliar suas empresas, reforçando a denúncia que será apresentada pelo PGR contra Temer nas próximas semanas e tornando mais incerto ondestino do peemedebista. Reduziu também Aécio Neves a pó. Mas, para agradar ao MP, não poderia deixar de fora o PT, que segundo ele, institucionalizou a corrupção nas estruturas de governo.

Mas Joesley livra a cara de Lula, pessoalmente, e tenta enredar Dilma. “Nunca tive conversa não republicana com o Lula. Zero. Tive com o Guido”, é um trecho da entrevista que certamente terá pouco destaque, mas ajuda o ex-presidente. Ao mesmo tempo, tenta fulminar Dilma – que, sabe, dificilmente voltará a ser presidente da República.

Joesley diz, numa resposta, que ela lhe pediu, no Planalto, 30 milhões para a campanha de Fernando Pimentel em 2014. Instado a detalhar, diz que ouviu da então presidente algo na linha de “pode fazer”, o que não parece ser um pedido.

Fernando Henrique se antecipou ao fato novo. Ninguém entendeu bem a súbita mudança de discurso do ex-presidente, que passou a pregar o desembarque, a renúncia e as diretas apenas três dias depois de o PSDB ter decidido continuar com o governo. Agora está explicado: bem informado e articulado, soube que vinha mais chumbo grosso contra Temer por aí. Veio. E agora o PSDB deve desembarcar.

É tão grave, mas tão grave, o conjunto da obra do que disse Joesley Batista à Época, acusando Temer de chefe da quadrilha e dando detalhes de sua relação com ele, que vai ficar difícil para os aliados do Planalto sustentar a estratégia de desqualificar as afirmações do empresário e questionar a autenticidade das gravações apresentadas.

Mesmo a nota de Temer, com o anúncio de que vai processar Joesley, soa inócua. Tudo indica que a denúncia de Rodrigo Janot contra o presidente virá gorda e consistente, e que a situação até agora tranquila para rejeitá-la na Câmara pode virar até lá, motivada pelo fator opinião pública.

A viagem de Michel à Russia e Noruega a partir de segunda-feira sobe no telhado. Vai parecer fuga. Pior: quando voltar, daqui a uma semana, ele pode não encontrar mais a cadeira para sentar.

HELENA CHAGAS ” BLOG OS DIVERGENTES” ” ( BRASIL)

ÉPOCA DEPÕE TEMER. E A GLOBO ELEGE FHC

e24e1734-72bb-4909-bcd9-5395915e2933

A entrevista de Joesley Batista à revista da Globo Overseas Investment BV, a Época – ler “The end…” – faz parte da trama para acelerar a eleição indireta, na qual a Globo tentará eleger um funcionário da sua irrestrita confiança: FHC Brasif, que já disse que tem orgulho da Globo e do Brasil, nessa ordem, ou um do tal neolibelismo.

(Aparentemente, o Meireles, o vendedor de seguros, segundo o Delfim, está fora do jogo, tal seu vínculo ao banco Original, do grupo do Joesley, e que ninguém sabe direito de que vive…)

Essa é a primeira consequência da deposição do Temer numa revista da Globo.

(Que ironia, gatinho angorá! A Globo te levar o cofre!)

A segunda é a desmoralização irrecuperável desse suposto juiz que não pode julgar, porque é parcial, o Ministro Gilmar Mendes.

O processo de impeachment, movido por Claudio Fontelles, um dos procuradores que querem botá-lo na cadeia, se acelera e se torna irreversível.

Aquela conversinha em que o “Gilmar” cumpre ordens do gângster do Mineirinho para dar uma palavrinha ao senador Flexa incrimina tanto quanto as delações do Joesley.

Não há mal que sempre dure.

Os gângsters do Golpe dos canalhas, canalhas, canalhas vão embora.

E seus “juízes” também!

Em tempo: só falta aquela Ilustre colonista da Fel-lha entrevistar o Temer sobre a entrevista do Joesley e perguntar… “presidente, o senhor é o chefe da maior quadrilha, mesmo?”…

Em tempo2: o que dirá o dos múltiplos chapéus na colona de amanhã no Globo?

Em tempo3: a Cegonhológa se escondeu atrás de um banco da Avianca e nas memórias (publicáveis) do Moreno para não se curvar, imediatamente, aos patrões: quando ela – como o Ataulpho, obediente, já fez – vai jogar o Temer na cloaca? Tchan, tchan, tchan!

PAULO HENRIQUE AMORIM ” VLOG CONVERSA AFIADA” ( BRASIL)

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s